HINO DO MUNIZ FREIRE F.CLUBE


Letra - Jair Dalvino, Ilda Alonso e José Martins

Música - Inspirada em antiga marcha de carnaval.


Avante, avante azul e branco

com presteza e com valor

lutarás pela vitória

seja ela onde for.



Coragem e fibra não nos faltam

nas disputas, no gramado

havemos sempre de vencer

e orgulhar do nosso quadro.



Teu passado e tua glória

vive em nossos corações

símbolo de garra e de coragem

conquistando multidões.




MUNIZ FREIRE

Shenia Soraya Soares Louzada (11 anos

16.11.1984


Muniz Freire cidade

Muniz Freire time

Muniz Freire é o coração

de um time campeão.



Muniz Freire cidade turística

Muniz Freire cidade alegria

Muniz Freire cidade viva

Muniz Freire cidade amiga.



Muniz Freire time de raça

de coragem, de fibra

de garra

de vontade de vencer.



Muniz Freire cidade heróica

Muniz Freire lugar belo

Muniz Freire grande lugar

Muniz Freire cidade histórica.

Extraído de "O MUNIZ FREIRE" - junho de 1985.




MUNIZ FREIRE FUTEBOL CLUBE

Hermany Rebello Braga

20.02.1990


Chegou a hora de Muniz Freire vencer

o adversário coitado, vai fenecer.

Pro beleléo vai curtir a sua mágoa,

lá no inferno bem dentro d'água.


Quem viver vai ver uma boa ação,

com a chuvarada pela grama escura.

E a bola vai rolar com doçura,

o nosso time vai ser campeão.


Vamos ficar bem comovidos,

vendo aquele gol atrevido,

feito com a batida do coração,

o torcedor vibrando com emoção.


Tudo pode no gramado acontecer,

nosso time pode até perder.

O grande momento virá, virá...

e de quatro, o adversário cairá, cairá.


A alegria irá voltar afinal.

Nosso time jamais chorará.

Mesmo que perca no Estadual,

outro jogo em boa tarde virá.


De pé em pé a bola vai rolar.

A galera bailando vai cantar.

Gritando, gritando bem coesa.

E o timaço vai jogar com firmeza.


Lá no inferno bem dentro d'água,

o adversário, coitado, vai fenecer.

Pro beleléo vai curtir sua magoa,

chegou a hora do Muniz Freire vencer.


Se eles catimbarem,

nós também catimbamos.

Se eles combinarem,

nós também combinamos.


Extraído de “O Muniz Freire”